0

The Knutz

Entre tantas incríveis bandas independentes da Cena Underground no Brasil, algumas já comentadas aqui, destaco dessa vez banda formada em Niterói RJ. The Knutz. A banda tem composições próprias foi formada em 2005, hoje conta, com o tecladista Ronaldo César, Thiago Abud no baixo, Daniel Abud voz e guitarra e o baterista Airton Silva, seu primeiro demo foi lançado em 2006 contendo 17 faixas. Sendo que cinco delas podem ser encontradas também no álbum de 2010, “Ghost Dance Party”, álbum de estreia que já rendeu show para a gringada destacando aqui o festival “Spider’s Web Festival” que rola no Reino Unido.

Eu esbarrei com a banda anos atrás na internet, eles estavam entra as bandas que tocaram na primeira edição do WoodgothicFestival Brasil , algum tempo depois pude velos pessoalmente do Projeto Eclipse.
Os meninos haviam sido convidados pelo Paulo Gotoh, responsável pelo evento e  vocalista da banda Elegia, não deu outra adorei, principalmente sabendo que o publico ali não era fácil. O baixista Thiago Abud cedeu um pouco de seu tempo pra falar da banda com o MundoObscuro Zine, segue.



M.O.Z.= Vcs recebem um destaque no livro “Music To Die For" do escritor inglês Mick Mercer (acima) , e certa repercussão na Europa ai vem à pergunta como está à relação da banda com publico lá fora?


 “Sempre há fans mandando mensagens, comprando CD's e fazendo críticas positivas ao nosso trabalho. E estamos muito contentes com isso. Alguns nos perguntam quando iremos para o país "X" ou "Y" tocar. O maior empecilho para uma banda tocar no exterior, são os altos valores das despesas, sendo bem mais fácil para um produtor trazer uma banda local ao seu evento do que uma estrangeira.”

( WoodgothicFestival Brasil  aqui





M.O.Z.= Levando em conta que Thiago e Daniel são irmão e divide o mesmo palco não pude deixar de perguntar, difícil trabalhar com personalidades tão diferentes?“

“Acontece que no começo nem sabíamos ao certo que direção musical iríamos seguir. Quero dizer,  só sabíamos que queríamos tocar e compor as nossas músicas. O ex-guitarrista João Artur, por exemplo, era fanático pela banda Helloween. Não somente a dificuldade de lidar com pessoas diferentes contava. O problema era lidar com pessoas de personalidades diferentes que queriam coisas diferentes para a banda. E esse processo de identidade foi bastante complicado. Depois de várias formações, acho que só criamos a identidade da banda após o álbum Ghost Dance Party.”

M.O.Z.=  Tendo influencias variadas  que vão de Sex Pistols, Bauhaus , David Bowie e claro The Cure, vc acha que é simples definir a banda dentro de um Gênero musical?

 “Definir um certo rótulo é sempre complicado. O que vem acontecendo é que acabamos tocando diversas vezes em eventos góticos. Mas parece que o público destes eventos não se identifica muito com o nosso som mesmo assim. Em nossa apresentação no Festival Woodgothic deste ano, por exemplo, vimos que o nosso som não tinha nada a ver com a maioria das outras bandas, apesar de termos influências de bandas pós-punk. Somos em essência uma banda de rock, e em qualquer evento onde há roqueiros à procura de um som autoral e de qualidade, ganhamos destaque.”


(Danyel e Cesar no Reino Unido mais fotos aqui )






M.O.Z.=  Algumas bandas se incomodam profundamente com comparações quando isso pode se tornar um problema? Na hora de compor isso conta?

Não vejo muito problema em ser comparado com um ídolo meu, pois tenho em mente que apesar das influências, fazemos um trabalho original. Na hora de compor, tentamos dar o nosso melhor apenas. O que acontece algumas vezes, é que sem querer criamos um riff que achamos legal, mas depois notamos que é igualzinho ao de uma banda consagrada. Isso acontece com todo mundo. Aí, decidimos mexer e tentar fazer um arranjo original.

M.O.Z.= Cantar em inglês é uma escolha pessoal, ou o mercado pede?

É a princípio uma questão pessoal mesmo, porque quando compomos músicas em português (e já tentamos várias vezes), não soam como gostaríamos. Acho que língua usada na letra muda completamente a sonoridade da música. Mas com certeza o fato de termos músicas em inglês nos permite termos uma repercussão internacional como estamos tendo.

M.O.Z.= Vocês são umas das poucas que fazem vídeos. Quem colabora com esse trabalho?




Apesar de termos vários vídeos e com uma qualidade que destoa um pouco da maioria das bandas do underground, nós mesmos somos os responsáveis pela produção de todos eles. Aliás, o Daniel (guitarrista/vocalista) é o cara que normalmente edita, dirige e produz a maioria dos vídeos. Mas também contamos com a participação de amigos e familiares para compor a equipe. Nesse último vídeo de "Heaven Outside The Mirror) (abaixo), em especial, conseguimos um patrocínio da Melody Box. 

M.O.Z.= Futuro o que podemos espera dos próximos trabalhos da banda.
Estamos gravando um novo álbum e acredito que ficará ainda melhor que o anterior! Nos aguardem! 
(The Kuntz Reino Unido, mais fotos aqui )
Pra quem Curtiu a banda e quer saber mais mais segue algumas entrevistas e participações, e claro as páginas oficiais da banda pra vc acompanhar o trabalho dos caras.

The Knutz Oficial 

Facebook

Website 

Agenda 



Naty Fênix Mundo Obscuro Zine 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visitou a página deixe seu comentário e aproveite pra seguir as novidades.